Brasil. República Federativa do Brasil
Notícias RSS

contraste

separador

Mérito Paulista 2018

Crea-SP reconhece ações de profissionais e entidades que aprimoram a área tecnológica

A cerimônia de entrega do Diploma de Mérito da Engenharia, Arquitetura e Agronomia Paulistas e a inscrição no Livro de Mérito do Crea-SP aconteceu na quinta-feira, 6 de dezembro, na Sede Angélica, reunindo homenageados e seus familiares.

O Presidente do Crea-SP, Engenheiro Vinicius Marchese Marinelli; o Coordenador da Comissão Especial do Mérito, Geólogo Sebastião Gomes de Carvalho; e membros da Comissão compuseram a mesa de abertura do evento.

O Coordenador da Comissão destacou que “já é uma tradição reservar a parte da manhã da última reunião plenária do ano para este importante momento” e ressaltou que, para a escolha dos homenageados, “são utilizados critérios meritocráticos, com seleção e indicação democrática pelos pares” e que a honraria “eterniza seus nomes”.

Sebastião destacou ainda que, para a edição 2018 da cerimônia do mérito, o Crea-SP inovou com a iniciativa da Láurea ao Mérito, homenageando os profissionais com 50 anos ou mais de registro ininterrupto no Conselho. “São mais de 1.400 profissionais e foram selecionados 10 de cada Câmara Especializada”, disse.

“Os números impressionam: há profissionais com 73 anos de registro ininterrupto. Este é um singelo reconhecimento. Muito obrigado por contribuírem para o fortalecimento, a melhoria e a evolução das nossas profissões e a proteção da sociedade”, ressaltou o Presidente do Crea-SP.

Foram reconhecidos profissionais, entidades de classe e instituições de ensino que, por suas ações, notabilizaram-se em prol da área tecnológica estadual e colaboraram para o aprimoramento das profissões regulamentadas pelo Sistema Confea/Crea, bem como para a qualidade de vida da sociedade.

As indicações foram feitas pelas Câmaras Especializadas e aprovadas pelo Plenário do Crea-SP, com o acompanhamento da Comissão Especial do Mérito. Em 2018 a Comissão foi composta pelos seguintes membros: Geólogo SEBASTIÃO GOMES DE CARVALHO (Coordenador); Engenheiro JOÃO LUIZ BRAGUINI (Coordenador Adjunto); Engenheiro TIAGO SANTIAGO DE MOURA FILHO; Engenheiro DEMETRIO ELIE BARACAT; Engenheiro JOSE ANTONIO GOMES VIEIRA; Engenheiro THIAGO BARBIERI DE FARIA; Engenheiro VALDEMAR ANTONIO DEMETRIO.

Receberam o diploma de mérito:

Engenheiro Civil e Tecnólogo em Construção Civil-Movimento de Terra e Pavimentação CARLOS YUKIO SUZUKI (Indicação da Câmara Especializada de Engenharia Civil)

Formado em Tecnologia em Construção Civil modalidade Pavimentação pela Faculdade de Tecnologia de São Paulo e em Engenharia Civil pela Faculdade de Engenharia Industrial e Civil de Itatiba, possui Mestrado e Doutorado em Engenharia de Transporte pela Universidade de São Paulo.

Com experiência na área de Engenharia de Transporte e ênfase em Projetos de Infraestrutura Viária, é professor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, lecionando as disciplinas: topografia, pavimentação e drenagem.

É coautor do livro Drenagem Subsuperficial de Pavimentos – Conceitos e Dimensionamento, da Editora Oficina de Textos, tendo publicado mais de cem artigos técnicos sobre dimensionamento estrutural e drenagem de pavimentos.

Fora do âmbito acadêmico, dedica-se a projetos relacionados à área de transporte, com destaque para vias e terminais de sistemas de transporte coletivo em diferentes países.

Dentre seus principais estudos e projetos destacam-se os trechos Norte, Leste e Sul do Rodoanel de São Paulo, o gerenciamento das obras de duplicação e restauração da BR-101 entre Recife e Natal e a elaboração final do projeto básico de duplicação da Serra do Cafezal da BR-116, Rodovia Régis Bittencourt. 

         

INSTITUTO MAUÁ DE TECNOLOGIA (Indicação da Câmara Especializada de Engenharia Mecânica e Metalúrgica), representado pelo Reitor Prof. Dr. José Carlos de Souza Junior.

Fundada em 11 de dezembro de 1961, é uma entidade de direito privado, sem fins lucrativos, de utilidade pública, dedicada ao ensino e à pesquisa científica e tecnológica, visando à formação de recursos humanos altamente qualificados que contribuam para o desenvolvimento do País.

A construção do Campus de São Caetano do Sul, em 1965, foi o momento de um salto de qualidade, com a instalação de melhores salas de aula e de laboratórios.

Em 1962 foram iniciados os cursos de engenharia elétrica e de engenharia industrial nas modalidades química, mecânica e metalúrgica e, em 1968, o de engenharia civil.

Em 2006 foi criado o Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Processos Industriais em São José dos Campos. Com a criação do Centro de Pesquisas e dos outros cursos estes vieram a contribuir para que o Instituto atingisse uma de suas metas de integração das três áreas de conhecimento, imprescindíveis ao desenvolvimento humano: a técnica, representada pelas Engenharias, a arte, representada pelo Design, e a de gestão, representada pela Administração.

O Instituto Mauá de Tecnologia busca a excelência e a qualidade, com metas contínuas em processos de modernização da estrutura organizacional, de suas operações e de sua gestão, com foco constante para o enfrentamento das mudanças de mercado.  

 

Engenheiro de Minas e Metalurgista WILDOR THEODORO HENNIES (indicação da Câmara Especializada de Geologia e Engenharia de Minas)

Formado em Engenharia de Minas e Metalurgia pela Universidade de São Paulo, possui doutorado em Engenharia Mineral pela USP, dois pós-doutorados pela Universidade de Tecnologia Claustahl Zellerfeld, na Alemanha, e Livre Docência pela Universidade de São Paulo.

Foi professor da Unesp de 1973 a 1978 e  da USP, onde atua até hoje como colaborador.

Realiza atividades de docência, pesquisa e extensão na área de lavra de minas, dedicando-se à estabilidade de taludes, escavações de minas a céu aberto, mecânica de rochas aplicada e corte de rochas com jatos d’água.

Um dos primeiros professores do curso de Engenharia de Minas da Escola Politécnica da USP, um dos mais importantes do mundo em sua área. Como destaque, instalou a primeira máquina de corte de rochas com jato d’água de ultra alta pressão da USP, voltada exclusivamente à pesquisa.

Criado o curso de Engenharia de Petróleo da USP, o que resultou na formação do Departamento de Engenharia de Minas e de Petróleo, o engenheiro passou a atuar também nessa área, produzindo inúmeros artigos internacionais e desenvolvendo diversos projetos sobre o assunto, até se tornar um dos maiores especialistas nessa área.

 

Engenheira Agrônoma GISELE HERBST VAZQUEZ (indicação da Câmara Especializada de Agronomia)

Formada em Engenharia Agronômica pela ESALQ-USP, possui Mestrado em Produção Vegetal pela mesma instituição, Especialização em Didática Superior pela UNORP-São José do Rio Preto e Doutorado em Produção e Tecnologia de Sementes pela UNESP Jaboticabal.

Foi Professora Convidada do curso de Pós-Graduação em Produção e Tecnologia de Sementes da UNESP Jaboticabal, Professora do curso de graduação em Agronomia da UNESP-Ilha Solteira, e, desde 1998, é Professora Titular do curso de graduação em Agronomia e do Mestrado em Ciências Ambientais da Universidade Brasil, sendo Coordenadora dos cursos de graduação e de pós-graduação.

Foi Inspetora Especial, Conselheira Suplente e Conselheira Titular do Crea-SP por 2 mandatos consecutivos, respectivamente, oportunidade em que foi Coordenadora-Adjunta da Câmara Especializada de Agronomia do Crea-SP, em 2017.

É membro do Conselho Deliberativo da AEASP – Associação de Engenheiros Agrônomos no Estado de São Paulo, Avaliadora do INEP, Assessora ad hoc do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq, Revisora Científica de diversas publicações, e membro do Conselho do Meio Ambiente da Secretaria de Meio Ambiente de Fernandópolis.

Recebeu o Prêmio Melhoramento na área de Fitotecnia, o Prêmio Manah de Adubos e Adubação e o Prêmio Fundação Atlantic de Produção Vegetal.

 

Foram homenageados in memoriam com a inscrição no Livro do Mérito, conforme o Ato n° 74, de 4 de setembro de 1998:

Engenheiro Civil SALVADOR ARENA (indicação da Câmara Especializada de Engenharia Civil), representado pela Presidente da Fundação Salvador Arena, Regina Venâncio.

Nascido em 12 de janeiro de 1915, em Trípoli, na Líbia, formou-se Engenheiro Civil pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

Foi engenheiro da Empresa de Energia Elétrica Light e presidente fundador da Termomecânica – Metais Não Ferrosos em 1942, aos 27 anos de idade.

Quando faleceu, sua empresa figurava no topo do ranking das grandes indústrias instaladas no Brasil e, hoje, a Termomecânica detém a maior fatia do mercado no setor de transformação de cobre e outras ligas de metais não-ferrosos em produtos semiacabados, sendo sua grande obra a extensão pelos inúmeros segmentos da indústria brasileira. 

Foi uma das personalidades mais marcantes e controversas de sua época, pelo seu modo de trabalho com ousadia, criatividade e determinação. Preocupado em manter vivos os seus sonhos, instituiu a Fundação Salvador Arena, tornando-a herdeira universal de todos os seus bens.

Faleceu em 28 de janeiro de 1998.    

      

Engenheiro Mecânico Eletricista LUIZ DE QUEIROZ ORSINI (indicação da Câmara Especializada de Engenharia Elétrica), representado pelo filho Marcos Orsini.

Formado Engenheiro Mecânico Eletricista pela Escola Politécnica da USP em 1946, completou o Doutorado na Universidade de Paris-Sorbonne em 1949. De volta à Escola Politécnica, obteve o título de livre docência em 1954, professor catedrático em 1957 e emérito em 1998.

Como educador, dedicou-se ao ensino de graduação e de pós-graduação por mais de seis décadas, sendo sua atuação considerada crucial na modernização do curso de Engenharia Elétrica no Brasil.

Contribuiu para a melhoria e a expansão dos cursos de Engenharia Elétrica, introduzindo tópicos como eletrônica, telecomunicações e sistemas digitais. Ajudou, também, a introduzir o ensino de análise de circuitos, eletromagnetismo e outros tópicos com o uso de matemática avançada.

Foi autor de diversos livros, entre eles, Curso de Circuitos Elétricos, Introdução aos Sistemas Dinâmicos e Simulação Computacional de Circuitos Elétricos.

Faleceu em 20 de janeiro de 2018.

 

Engenheiro Agrônomo WALTER RODRIGUES DA SILVA (indicação da Câmara Especializada de Agronomia), representado pelos filhos Bruno e André.

Nascido em 12 de janeiro de 1949, em São Paulo, formou-se em Engenharia Agronômica, em 1973, com Mestrado em Fitotecnia, em 1978, e Doutorado em Fitotecnia, em 1989, sempre pela ESALQ/USP.

Foi Pesquisador do Instituto Agronômico do Paraná e Professor da Universidade de São Paulo na área de Tecnologia de Sementes.

 

Durante sua vida acadêmica e profissional produziu 47 artigos completos publicados em periódicos, foi autor de 5 livros, com 49 trabalhos apresentados em congressos, detentor de uma patente, 6 orientações de mestrado, 12 orientações de doutorado e 66 palestras e cursos proferidos.

Foi Assessor ad hoc do CNPq e do FINEP, Assessor Científico da FAPESP, da EMBRAPA, da Associação Brasileira de Tecnologia de Sementes, do Instituto Agronômico de Campinas – IAC, da Sociedade de Olericultura do Brasil, da Sociedade Brasileira de Engenharia Agrícola, dentre outros, bem como das Universidades Estaduais de Londrina e de Maringá, da UNESP e das Universidades Federais do Paraná, de Santa Catarina, de Uberlândia e de Lavras.

Faleceu em 24 de junho de 2005.

 

Geólogo EBERHARD WERNICK (indicação da Câmara Especializada de Geologia e Engenharia de Minas), representado pelo filho Bruno.

Nascido em 12 de junho de 1940 na Alemanha e naturalizado brasileiro, formou-se em Geologia, em 1963, pela Universidade de São Paulo, com doutorado, em 1967, pela Unicamp e pós-doutorado, em 1969, pela Universidade de Kiel, na Alemanha.

Foi Livre Docente em 1972, e Professor Titular em Petrologia e Geoquímica pelo Instituto de Geociências e Ciências Exatas da UNESP, campus de Rio Claro, desde 1977, aposentando-se em 2006. Registrou mais de quatro décadas de atividades de ensino de geociências, especialmente no estudo de rochas granitoides.

Coordenou e participou de inúmeros projetos nacionais e internacionais, e de mais de 50 congressos e conclaves científicos em diferentes países. Publicou uma centena de artigos completos, e mais de duas centenas de resumos em anais de congressos, com um livro completo e outro em vias de publicação.

Teve importante participação na criação do Instituto de Geociências da Unicamp e foi Membro Titular da Academia de Ciências do Estado de São Paulo e da Academia Brasileira de Ciências. Recebeu inúmeras premiações e distinções ao longo de sua carreira acadêmica, destacando-se a Medalha Martelo de Prata, concedida em 1972, pela Sociedade Brasileira de Geologia.

Faleceu em 29 de dezembro de 2017.    

 

Nesta edição, também foram homenageados com a Láurea de Reconhecimento profissionais que prestaram relevantes serviços ininterruptamente ao longo dos últimos 50 anos.

1.            Engenheiro Químico, Engenheiro Civil e Engenheiro de Segurança do Trabalho HAMILTON ARNALDO RODRIGUES – 58 anos de registro

2.            Engenheiro Mecânico CELSO RODRIGUES – 50

3.            Engenheiro Agrimensor WALDOMIRO AUGUSTO DE SOUZA – 62

4.            Engenheiro Civil ROBERT SCHOUERRÍ – 71

5.            Engenheiro Eletricista THEODORO RICARDO BENDER – 59

6.            Engenheiro Mecânico Eletricista SCHAIA AKKERMAN – 65

7.            Engenheiro Civil JÚLIO CAPOBIANCO – 72

8.            Engenheiro Agrimensor MAURÍCIO DE AQUINO – 59 (REPRESENTADO PELO FILHO – MAURICIO)

9.            Engenheiro de Minas DÉCIO SÂNDOLI CASADEI – 55

10.          Geólogo PAULO ROBERTO DE QUEIROZ SERPA – 50

11.          Engenheiro Agrimensor LUIZ SIGEMORI – 60

12.          Engenheiro Eletricista ISRAEL SCHAHNIK – 65

13.          Engenheiro Agrimensor MÁRIO MEDINA – 58

14.          Engenheiro de Minas e Metalurgista VILDOR THEODORO RENÍS - 54

15.          Engenheiro Mecânico Eletricista MARCÍLIO VILLELA BASTOS – 67 (representado pelo filho Marcelo)

16.          Geólogo MILTON ASSIS KANJI – 55

17.          Geólogo ARNALDO SÉRGIO KUTNER – 55

18.          Engenheiro Agrônomo GUIDO CESAR RANDO – 73 (representado pela filha Cristiana, na foto abaixo)

Produzido pelo Departamento de Comunicação e Eventos do Crea-SP
Reportagem: Jornalista Perácio de Melo – DCEV/SUPCEV
Colaboração: Estagiários Daylson Luiz e Guilherme Almeida


  • compartilhar
  • Enviar por e-mail
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Orkut
índice de notícias

Exibir notícias por:

Institucional

Fiscalização

Tecnologia

Clipping










Crea-SP

Av. Brigadeiro Faria Lima, 1059

Pinheiros • São Paulo • SP • CEP 01452-920

Atendimento: 0800-17-18-11